Fortuna Crítica


ACCIOLY, Ana. Manoel de Barros, o poeta. Manchete, Rio de Janeiro,1988, p. 116.

ACCIOLY, Ana. Manoel de Barros, a palavra redescoberta. Revista GoodyearSão Paulo, abr. 1989, p. 48-53.

ALBUQUERQUE, Érika Bandeira de. Manoel e Martha Barros: a peda­gogia do olharDissertação (Mestrado em Letras). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2015.

ALFELD, Elisabete. Apropriações midiáticas da poesia contemporânea: releituras de Manoel de Barros. FronteiraZ, n. 15, 2015. Disponível em < http://revistas.pucsp.br/index.php/fronteiraz/article/view/24410/18565 >, acesso em 19 dez. 2016.

ALMEIDA, Adris de. As raias da memória e da imaginação em Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Literatura). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2012.

ALMEIDA, Marinei. Entre voos, pântanos e ilhas: um estudo compara­do entre Manoel de Barros e Eduardo WhiteTese (Doutorado em Letras).São Paulo: Univer­sidade de São Paulo, 2008.

AMÂNCIO, Moacir. O caso literário do exímio poeta Manoel de Bar­ros.O Estado de S. Paulo, 28 abr. 1989.

AMARAL, Silvia Letícia Germano do; MARINHO, Marcelo. A poética do devaneio em Manoel de Barros: ilogismo de um demiurgo. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 7, maio 2004. p. 61-69.

ANDRADE, Jeferson de. O homem que é um dialeto. Estado de Mi­nas, Belo Horizonte, 5 fev. 1998, p. 5.

AQUINO, Marcela Ferreira Medina de. Faces do poeta pop: o caso Manoel de Barros na poesia brasileira contemporâneaTese (Doutorado em Letras). Rio de Ja­neiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2010.

ARRUDA, Heraldo Povoas. A metapoesia de Manoel de Barros. Le­tras & Artes, jun. 1990, p. 6.

ASSUNÇÃO, Paulinho. As pré-coisas de Manoel de Barros. Estado de Minas, Belo Horizonte, 23 jan. 1986.

AZEVEDO, Lucy Ferreira. Paixões e identidade cultural em Manoel deBarros: O poema como argumento. São Paulo: Pontifícia Univer­sidade Católica de Sào Paulo, 2006. Tese (Doutorado em Letras).

AZEVEDO, Lucy Ferreira. Paixões em Manoel de Barros: a importância de ser pantaneiro. Cuiabá: Carlini & Caniato, 2008.

BARBOSA, Frederico. Poeta elabora a gramática das coisas inúteis. Folha de S. Paulo, 1. dez. 1990, p. F-7.

BARBOSA, Luiz Henrique. Palavras do chão: um olhar sobre a lin­guagem adâmica em Manoel de Barros. São Paulo: Annablume, 2003.

BARRA, Cynthia de Cássia Santos. É invio e ardente o que o sabiá não diz: uma leitura de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Estudos Literários). Belo Horizonte: Universi­dade Federal de Minas Gerais, 2000.

BARROS, Nismária Alves David. O lugar do leitor na poesia de Manoel de Barros. Tese (Doutorado em Letras). Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2010.

BASEIO, Maria Auxiliadora Fontana. Entre a magia da voz e a artesa­nia da letra: O sagrado em Manoel de Barros e Mia CoutoTese (Doutorado em Estudos Com­parados de Literaturas de Língua Portuguesa). SãoPaulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Uni­versidade de São Paulo, 2007.

BATISTA, Orlando Antunes. Lodo e ludo em Manoel de Barros. Rio deJaneiro: Presença, 1989.

BÉDA, Walquíria Gonçalves. A construção poética de si mesmo: Manoel de Barros e a auto­biografiaTese (Doutorado em Letras). Assis, SP: Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, 2007.

BÉDA, Walquíria Gonçalves. O inventário bibliográfico sobre Manoel de Barros ou "Me encontrei no azul de sua tarde"Dissertação (Mestrado em Teoria da Literatura e Literatura Com­parada). Assis, SP: Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, 2002. 2 v.

BELLEZA, Eduardo de Oliveira. Desacostumar os olhos: Experimentan­do em vídeos/espaços/poesiasDissertação (Mestrado em Educação).Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2014.

BIRAM, Tagore. O desconcertador de linguagem. Zero Hora, PortoAlegre, 3 set. 1994, p. 8-9.

BORGES, João. Gramática remota da pureza perdida. O Globo, Se­gundo Caderno, Rio de Janeiro, 28 jul. 1993.

BORGES, João. A natureza num amor de ignorante. O Globo, Rio de Janeiro, 23 nov. 1993.

BRUNACCI, Maria Izabel. A crítica da modernidade na poética de Manoel de Barros e José Paulo Paes. Estudos de Literatura Con­temporânea, Brasília, n. 19, mai./jun. 2002, p. 43-58.

CAMARGO, Goiandira de F. Ortiz de. O puro traste em flor: uma releitura das sublimidades poéticas em Manoel de Barros. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 103-114.

CAMARGO, Goiandira de Fátima Ortiz de. A poética do fragmentário: uma leitura da poesia de Manoel de BarrosTese (Doutorado em Ciência da Literatura). Rio de Janeiro: Fa­culdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1997.

CAMPOS, Cristina. Manoel de Barros: o demiurgo das terras encharca­das - educação pela vivência do chão. Cuiabá: Tanta Tinta; Carlini & Caniato, 2010.

CAMPOS, Luciene Lemos de.  A mendiga e o andarilho: A recriação poética de figuras populares nas fronteiras de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Estudos Fronteiriços); orientador: Rauer Ribeiro Rodrigues. Corumbá, MS: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Câmpus do Pantanal, 2010.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Camalotes, Sarobás e poemas sem pecado: o intertexto das figuras populares na obra de Ma­noel de Barros. In: COSTA, Edgar A. da; SILVA, Giane; OLIVEIRA Marco Aurélio (Orgs.). Despertar para a fronteira, v. 1. Campo Gran­de: UFMS, 2009.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues] . Figuras femininas na obra de Manoel de Barros. In: Anais do Seminário Internacional América Platina, 2008.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. A poesia de Manoel de Barros e a História de Corumbá. Carandá, Corumbá, MS, p. 8-32, 16 maio 2009.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Alteridade e identidade em Manoel de Barros. Guavira Letras, v. 18, p. 130-153, 2014.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Fronteiras e identidades na poesia de Manoel de Barros. In: 3º América Platina, 2010, Campo Grande. Anais do III Seminário Internacional America Platina- CADEF, Universidade Federal do Mato groso do Sul. Campo Grande: UFMS / Cadef, 2010. v. cd-rom. p. 1-12.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. História e poesia em Manoel de Barros. In: IX Encontro Regional da ANPUH / MS - As linguagens da História e os ofícios do historiador. Corumbá, MS: UFMS - CPAN/DHL, 2008, v. Cd, 7. trabalho.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. O sentimento de fronteira na poesia de Manoel de Barros. In: Anais do Silel. Uberlândia, MG: EdUFU, 2009, p. 8-8.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Camalotes, sarobás e poemas sem pecado: o intertexto das figuras populares na obra de Manoel de Barros. In: Edgar Aparecido da Costa; Giane Aparecida Moura da Silva; Marco Aurélio Machado de Oliveira. (Orgs.). Despertar para a Fronteira. Campo Grande: UFMG, 2009, p. 145-158.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Fronteiras e identidades na poesia de Manoel de Barros. Antares: Letras e Humanidades, v. 5, p. 191-209, 2011.

CAMPOS, Luciene Lemos de; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. O peregrino, o andarilho e a poesia de Manoel de BarrosEstação Literária, v. 10B, p. 7-19, 2013.

CANÇADO, José Maria. O escárnio e a ternura. Leia, São Paulo, n. 104, jun. 1987.

CARDIM, Ismael. Um poeta em Mato Grosso. Folha da Tarde, Co­rumbá, MS, 18 set. 1974, p. 3.

CARLAN, Carina. Princípios criativos concebidos a partir das noções de pré-coisas e da atividade de transver de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Dcsign). Por­to Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2014.

CASTELLO BRANCO, Lúcia (Org.). Sete olhares sobre os escritos de Barros e Pessoa. Belo Horizonte: UFMG, 1995.

CASTELLO BRANCO, Lúcia. Palavra em estado de larva: a matéria poética de Manoel de Barros. Suplemento Literário do Minas Gerais, Belo Horizonte, n. 907, 18 fev. 1984.

CASTELLO BRANCO, Lúcia. A poesia febril de Manoel de Barros. O Tempo, Belo Horizonte, 17 ago. 1997, p. 8.

CASTELLO BRANCO, Lúcia. E tem espessura de amor: variações sobre o silêncio branco em Manoel de Barros. Revista Grumo, Buenos Aires; Rio de Ja­neiro, v. 2, 2003.

CASTELLO BRANCO, Lúcia. Manoel de Barros - Caderno 1. Belo Hori­zonte: Editora UFMG, 2009. v. 1. Coleção Amorímpar.

CASTELLO, José. Manoel de Barros busca sentido da vida. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 3 ago. 1996.

CASTELLO, José. Manoel entre pássaros. O Globo, Prosa & Verso, Rio de Janeiro, 31 dez. 2011.

CASTELLO, José. Manoel de Barros faz do absurdo sensatez. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 18 out. 1997. Disponível em: <www.jornaldepoesia.jor.bricastelll.html >.

CASTELLO, José. Manoel de Barros fotografa a poesia do invisível. OEstado de S. Paulo, Caderno 2, 27 maio 2000.

CASTELLO, José. Manoel de Barros: Retrato perdido no pântano. In: ______. Inventário das sombras. Rio de Janeiro: Record, 1999.

CASTELLO, José. Poesia atônita. O Globo, Rio de Janeiro, 18 jan. 2014, p. 5.

CASTRO, Afonso de. Análise de Três Poemas – “O Guardador de Águas”. Ko’embá Pytã, Campo Grande, Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso, ano I, n. 2, junho/julho 1993. p. 48-78.

CASTRO, Afonso de. A poética de Manoel de Barros: a linguagem e a volta à infância. Campo Grande: Editora UCDB, 1992. (Mestrado defendido na UnB em 1991).

CONCEIÇÃO, Mara. Manoel de Barros, Murilo Mendes e Francis Ponge. Nomeação e pensatividade poética. São Paulo: Paco, 2011.

CORRÊA, Alamir Aquino. O desachamento da finitude em Manoel de Barros. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 36-46.

CORRÊA, Soraia Ramos; MARINHO, Marcelo. Linguagem infantil e poesia demiúrgica: a obra poética de Manoel de Barros. . O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 6, maio 2003. p. 31-42.

COUTO, José Geraldo. Manoel de Barros busca na ignorância a fonte da poesia. Folha de S. Paulo, Caderno Mais, 14 nov. 1993, p. 8-9.

CRETTON, Maria da Graça. O regional e o literário em Manoel deBarros. In: CRISTÓVÃO, Fernando Alves et al. Nacionalismo e re­gionalismo nas literaturas lusófonas. Rio de Janeiro: Cos­mos, 1997.

CRUZ, Wânessa Cristina Vieira. Iluminuras: imaginação criadora naobra de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em EstudosLiterários). Belo Horizonte: Universidade Fede­ral de Minas Gerais, 2009.

CUNHA, Yanna K. H. Gontijo. andarilho Bernardo, de Manoel deBarrosDissertação (Mestrado em Literatura). Rio Grande: Universidade Federal do Rio Grande, 2015.

DALATE, Sergio. Manoel de Barros: uma poética do estranhamento ou o encantador de palavras. Polifonia, Cuiabá, EDUFMT, n. 3, 1997, p. 1-13.

DAVID, Thiago. A ecologia da cidade: uma homenagem ao idioleto manoelês. E-book. S.l.: Editor Victor França, s.d. 


DAVID, Nismária Alves. A poesia de Manoel de Barros e o mito de origem. Terra Roxa e Outras Terras - Revista de Estudos Literá­rios, Londrina, UEL, n. 5, 2005, p. 17-32.

DIEGUES, Douglas. A viagem a las fontes selvagens de Manoel de Barros. Cult, ano 19, n. 219, p. 52-57, dez. 2016.

DURAZZO, L.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. O menino-poeta: no olhar oblíquo a poesia. Texto Poético, v. 13, 2012, p. 70-73.

FARINA, Giane. que pode um nome? Diálogos sobre a infância comManoel de BarrosDissertação (Mestrado em Educação). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015.

FENSKE, Elfi Kürten (pesquisa, sel. e org.). Manoel de Barros: a na­tureza é sua fonte de inspiração, o pantanal é a sua poesia. Tem­plo Cultural Delfos, fev. 2011. Disponível em: < www.elfikurten.com.br/2011/02/manoel-de-barros-natureza-e-sua-fonte.html >.

FERNANDES, José. A loucura da palavra. Barra do Garças, MT: Centro Pedagógico da UFMT, 1987.

FERNANDES, Janice de Azevedo. Iminências poéticas: Manoel de Bar­ros e Arthur Bispo do Rosário. Por uma poética da recomposição deinutilidades e do acriançamento. Dissertação (Mestrado em Letras).Goiânia: Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2015.

FERRARI, Sandra Aparecida Fernandes Lopes. Repetição: aspectos de estilo na poesia de Manoel de Barros. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 6, maio 2003. p. 43-48.

FIOROTTI, Devair Antônio. palavra encena: uma busca de entendi­mento da linguagem poética a partir de Manoel de BarrosTese (Doutorado em Teoria Literária). Brasília: Instituto de Letras, Universidade de Brasília, 2006.

FONTES, Marcelo Barbosa. Territórios da escrita em Manoel de Barros: Por uma poética da escutaDissertação (Mestrado em Letras). Belo Horizonte: Pontifícia Universida­de Católica de Minas Gerais, 2008.

FREITAS, Guilherme. O poeta que queria ser árvore. O Globo, Se­gundo Caderno, Rio de Janeiro, 13 abr. 2010.

GALHARTE, Julio Augusto Xavier. Despalavras de efeito: os silêncios na obra de Manoel de BarrosTese (Dou­torado em Teoria Literária e I.iteratura Comparada). São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras eCiências Humanas, Universidade de São Paulo, 2007.

GARCIA, Mirian T. Ribeiro. Exercícios de ser humano: a poesia e ainfância na obra de Manoel de Barros. Dissertação (Mestrado em Literatura). Brasília: Universidade de Brasília, 2006.

GIL, Andreia de Fátima Monteiro. Poesia e Pantanal: o olhar mosai­cado de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Literatu­ra e Crítica Literária). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2011.

GONÇALVES, Marta Aparecida Garcia. política da literatura e suasfaces na palavra muda de Manoel de Barros. Tese (Doutorado em Lin­guística Aplicada e Literatura Comparada). Natal: UniversidadeFederal do Rio Grande do Norte, 2011.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A alegada similitude entre as poéticas de Manoel de Barros e Guimarães Rosa. In: Lugares dos discursos - X Congresso Internacional da ABRALIC. Rio de Janeiro: UERJ, 2006.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A inusitada semelhança entre as coisas na poesia de Manoel de Barros. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. único, 2006, p. 1084-1089.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A inusitada semelhança entre as coisas na poesia de Manoel de Barros. In: 54. Seminário do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo, Araraquara, UNESP, 2006, p. 1084-1089.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A inusitada semelhança entre as coisas na poesia de Manoel de Barros. In: Caderno de Resumos do 53º Seminário do GEL. São Carlos: UFSCAR, 2005, p. 278-278.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A metáfora metalingüística em Manoel de Barros. In: 52º Seminário do GEL - Programação e Resumos. Campinas: IEL/UNICAMP, 2005, p. 294-294.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A metalinguagem no primeiro livro de Manoel de Barros. In: Anais do V Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários. Araraquara, SP, Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, 2004, p. 154-160.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A poética de Manoel de Barros: da transgressão à lógica. In: Caderno de Resumos do XI Seminário do CELLIP, Cascavel, PR, 1997.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A poética de Manoel de Barros: da transgressão à lógica. In: Caderno de Resumos da II Jornada de Pesquisa, Assis, UNESP, SP, 1997.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A poética de Manoel de Barros: da transgressão à lógica. In: Caderno de Resumos do XI Seminário do CELLIP, Cascavel, PR, 1997.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. A poética em Manoel de Barros: os deslimites da palavra. In: XII Seminário do CELLIP, Foz do Iguaçu, PR, Centro de Estudos Lingüísticos e Literários do Paraná, 1998.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. De corixos a veredas: a intertextualidade entre Guimarães Rosa e Manoel de Barros. In: Caderno de resumos do V Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, Araraquara, SP: Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, 2004, p. 49-50.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. De corixos e veredas: Manoel de Barros e Guimarães Rosa. In: VI Seminário de Pesquisa, 2005, Araraquara. Caderno de Resumo do VI Seminário de Pesquisa. Araraquara: FCLAR, 2005. v. Único. p. 58-58.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Diálogos intertextuais entre Guimarães Rosa e Manoel de Barros. In: II Seminário Estudos da Linguagem - Identidades, 2003, Três Lagoas-MS. II Seminário Estudos da Linguagem - Identidades. Três Lagoas, MS: UFMS/Câmpus de Três Lagoas/Programa de Pós-Graduação em Letras, 2003. v. Único. p. 99-104.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Diálogos intertextuais entre Guimarães Rosa e Manoel de Barros - Uma tese. In: II Seminário de Estudos da Linguagem - «Identidades», 2003, Três Lagoas - MS. Identidades: II Seminário Estudos da Linguagem. Três Lagoas - MS: Mestrado em Letras - UFMS, 2003. v. Único. p. 60-60.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Figurativização metapoética em Manoel de Barros. In: I Congresso Internacional da Associação Brasileira de Estudos Semióticos, 2003, Araraquara - SP. Percepção e Sentido: Tendências atuais dos estudos semióticos. Araraquara - SP: Associação Brasileira de Estudos Semióticos, 2003. v. Único. p. 107-108.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Guimarães Rosa e Manoel de Barros: Aproximações. In: XVI Seminário do CELLIP, 2003, Londrina. Anais do XVI Seminário do CELLIP. Londrina/PR: Universidade Estadual de Londrina, 2003.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Guimarães Rosa e Manoel de Barros: Aproximações. In: XVI Seminário do CELLIP, 2003, Londrina - PR. CELLIP: XVI Seminário - Caderno de Programação e Resumos. Londrina - PR: Centro de Estudos Lingüísticos e Literários do Paraná, 2003. v. Único. p. 225-226.
GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Intertextualidade: a poesia de Guimarães Rosa em Manoel de Barros. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. único, 2004, p. 227-236.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Intertextualidade: a poesia de Guimarães Rosa em Manoel de Barros. In: 51º Seminário do GEL, 2003, Taubaté - SP. 51º Seminário do GEL - Programação Geral e Caderno de Resumos. Taubaté - SP: Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo / Universidade de Taubaté, 2003. v. Único. p. 244-245.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros nas páginas da crítica acadêmica e nas páginas da imprensa periódica. In: VII Seminário de Estudos Literários, 1998, Assis/SP. Caderno de Resumos do VII Seminário de Estudos Literários. Assis/SP, 1998.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros nas páginas da crítica acadêmica e nas páginas da imprensa periódica. In: VII Seminário de Estudos Literários, 1998, Assis/SP. Caderno de Resumos do VII Seminário de Estudos Literários. Assis/SP, 1998.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros: a poética da ascenção do restolho. In: VI Seminário de Estudos Literários, 1996, Assis/SP. Caderno de Resumos do VI Seminário de Estudos Literários. Assis/SP, 1996.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros: a poética da ascenção do restolho. In: VI Seminário de Estudos Literários, 1996, Assis/SP. Caderno de Resumos do VI Seminário de Estudos Literários. Assis/SP, 1996.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros: breve apresentação. In: BARROS, Manoel de (texto); MORRISEL, Brita (fotos). Título. Frankfurt, Alemanha: FTM, 2013.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros: o mundo sedutor das palavras. In: X Seminário do CELLIP, 1996, Londrina/PR. Caderno de Resumos do X Seminário do CELLIP. Londrina/PR, 1996.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros: o mundo sedutor das palavras. In: X Seminário do CELLIP, 1996, Londrina/PR. Caderno de Resumos do X Seminário do CELLIP. Londrina/PR, 1996.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Na fotografia do "sobre", a essência do poético para Manoel de Barros. In: Caderno de resumos do II Encontro Regional do Grupo de Estudos de Linguagem do Centro-Oeste, v. 1. Campo Grande: UFMS, 2011, p. 14-15.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. No olhar oblíquo, a poesia. Texto Poético, v. 13, 2012, p. 40-52.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. O Barros do Pantanal e o Rosa do Sertão. Cultura em MS, Campo Grande, 1. out. 2008, p. 54 - 55.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. O substrato do poético em "As lições de R.Q.", de Manoel de Barros. Texto Poético, v. 9, 2010, p. 1-10.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Poesia: ocupação da imagem pela palavra. Papéis (UFMS), Campo Grande - MS, v. Único, p. 6-13, 1998.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Similaridades poéticas em Guimarães Rosa e Manoel de Barros. In: III Seminário Internacional Guimarães Rosa, 2004, Belo Horizonte - MG. Caderno de resumos do III Seminário Internacional Guimarães Rosa. Belo Horizonte - MG: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2004. p. 210-210.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Uma leitura dos "Poemas concebidos sem pecado": o retrato do artista quando Cabeludinho. In: Rosana Cristina Zanelatto Santos (Org.). Nas trilhas de Barros: rastros de Manoel. Campo Grande: Editora da UFMS, 2009. p. 87-115.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene.  Literatura em Perspectiva (Prefácio). Campo Grande: Editora da UFMS, 2009.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; ALMEIDA, W. M.; DIAS, R. M. Preservação e memória da produção literária em Mato Grosso do Sul. In: Caderno de Resumos da XII Semana de Letras, Aquidauana/MS - a linguagem sob múltiplos olhares: perspectiva para o ensino. Campo Grande: UFMS, 2007, p. 17-17.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; BENITES, Paulo. Manoel de Barros entre tradição e renovação. Letras & Letras (Online), v. 31, 2015, p. 312-330.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; BENITES, Paulo. Manoel de Barros sob a égide Daemônica. Guavira Letras, n. 18, 2014, p. 112-129.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARCHEZAN, L. G. . A construção da metáfora em Manoel de Barros. In: VI Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, 2005, Araraquara/SP. Anais do VI Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários. Araraquara/SP: FCL, 2005. v. 2. p. 9-15.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARCHEZAN, L. G. Barros e Rosa: canto e plumagem das palavras. In: III Seminário de Pesquisa, 2002, Araraquara - SP. III Seminário de Pesquisa - Caderno de Resumos. Araraquara - SP: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, 2002. v. Único. p. 76-77.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARCHEZAN, Luiz Gonzaga. Transubstanciações poéticas em Barros e Rosa. In: IV Seminário de Pesquisa, 2004, Araraquara - SP. Caderno de Artigos: Anais do IV Seminário de Pesquisa. Araraquara - SP: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários/Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara/UNESP, 2004. p. 230-240.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARCHEZAN, Luiz Gonzaga. Transubstanciações poéticas em Barros e Rosa. In: IV Seminário de Pesquisa, 2003, Araraquara - SP. IV Seminário de Pesquisa - Caderno de Resumos. Araraquara - SP: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, 2003. v. Único. p. 55-56.

GRACIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARTINS, W. R. M. O.; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Manoel de Barros, um poeta nos limites e elipses do sensível, do inteligível e do provisório. In: Kelcilene Grácia-Rodrigues; Antonio Rodrigues Belon; Rauer. (Orgs.). O Universal e o Regional - Literatura em Perspectiva, v. 1. Campo Grande: UFMS, 2009, p. 285-302.

GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneMARTINS, W. R. M. O.RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Manoel de Barros, um poeta nos limites e elipses do sensível, do inteligível e do provisório. In: Kelcilene Grácia-Rodrigues; Rauer; Antonio Rodrigues Belon. (Orgs.). O Universal e o Regional, "Literatura em Perspectiva 1". Campo Grande: Editora da UFMS, 2009. p. 285-302.

GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneRAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues] . A metáfora em Manoel de Barros e Guimarães Rosa. Desenredo (PPGL/UPF), v. 7, p. 253-273, 2011.

GRACIA-RODRIGUES, Kelcilene; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues] . Drummond e Barros: faces, máscaras e intertexto. In: Texto Poético. Araraquara, SP: GT Teoria do Texto Poético - ANPOLL, 2009, p. 1-12.

GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneRAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues] . Drummond e Barros: faces, máscaras e intertextos. In: I Encontro Nacional do GT Teoria do Texto Poético (ANPOLL), 2009, Araraquara.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. A metáfora em Manoel de Barros e Guimarães Rosa. Desenredo(PPGL/UPF), v. 7, p. 253-273, 2011.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Manoel de Barros: rebelde amor diante da tradição. Itinerários (UNESP. Araraquara), v. 28, p. 13-22, 2009.

GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneRAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Manoel de Barros: Rebelde amor diante da tradição. Itinerarios, UNESP, Araraquara, SP, v. 28, 2009, p. 13-22.

GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneRAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]; DEGLI ATTI, Francesca. Nas raízes da memória: entrevista com o poeta Manoel de Barros em 21 de setembro de 2006. In: Rosana Cristina Zanelatto Santos. (Org.). Nas trilhas de Barros: rastros de Manoel. Campo Grande: Editora da UFMS, 2009. p. 161-166.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. poética de Manoel de Barros: Umjeito de olhar o mundoDissertação (Mestrado em Letras). Assis: Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Unesp, 1998.

GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. De corixos e de veredas: a alegada similitude entre as poéticas de Manoel de Barros e de Guimarães RosaTese (Dou­torado em Estudos Literários). Araraquara, SP: Faculda­des de Ciências e Letras, Unesp, 2006.

GRÜNEWALD, José Lino. Poeta com máscara de filósofo popular. O Globo, Prosa & Verso, Rio de Janeiro, 21 set. 1996.

JANSEN, Roberta. Manoel de Barros salva palavras da mesmice. OEstado de S. Paulo, Caderno 2, 15 maio 1995.

LANDEIRA, José Luís Marques López. Manoel de Barros e o ilógico olhar poético que transcende a razão. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 4, maio 2001. p. 68-73.

LINHARES, Andrea R. Fernandes. Memórias inventadas: figurações do sujeito na escrita autobiográfica de Manoel de BarrosDisserta­ção (Mestrado em História da Literatura). Porto Ale­gre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2006.

LOBATO, Eliane. Poeta de pés no chão. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 14 jun. 1980, p. 8.

MACEDO,Ricardo M. Memórias inventadas: espaços de significação da solidão e imaginárioDissertação (Mestrado em Estudos Literários).Tangará da Serra: Universidade do Es­tado de Mato Grosso, 2011.

MACHADO, Madalena; MAQUÊA, Vera da Rocha (Orgs.). Dos labi­rintos e das águas: entre Barros e Dickes. Cáceres, MT: Unemat, 2009.

MAEKAWA, Maria Ester Godoy Pereira. A transversalidade literária de Manoel de Barros na pedagogia da educação ambiental no Panta­nal. Disser­tação (Mestrado em Educação). Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso, 2005.

MAQUÊA, Vera da Rocha; PINHEIRO, Hérica A. Jorge da Cunha. O chão da palavra poética de Manoel de Barros e Ondjaki. In: MALUF-SOUZA, Olimpia; SILVA, Valdir; ALMEIDA, Eliana de; BISINO­TO, Leila S. J. (Orgs.). Redes discursivas: a língua(gem) na pós­-graduação, v. 2. Campinas, SP: Pontes, 2012.

MARINHO, Marcelo et al (Orgs.). Manoel de Barros: o brejo e o solfejo. Brasí­lia: Ministério da Integração Nacional; Universidade CatólicaDom Rosco, 2002. (Coleção Centro-Oeste de Estudos e Pesquisas, 5).

MARINHO, Marcelo et alli [Thalita Melotto; Emanuela Ramires; Waleska Martins; Magda Magalhães; Fábio Pereira; Edna Menezes]. Manoel de Barros: o brejo e o solfejo. Brasília: Ministério da Integração Nacional; Campo Grande: UCDB, 2002. (Coleção Centro-Oeste de Estudos e Pesquisas, 5).

MARINHO, Marcelo. Apresentação. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, ano I, n. 1, set. 1997. p. 5.

MARINHO, Marcelo. Cinema e literatura: o Pantanal como metáfora da Arte em Joel Pizzini e Manoel de Barros. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 81-90.

MARINHO, Marcelo; MAGALHÃES, Magda Martins. A brasilidade em Manoel de Barros e Guimarães Rosa: do regional ao universal. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 5, maio 2002. p. 43-48.

MARINHO, Marcelo; MELOTTO, Thalita. Arte, erotismo e representação do universo: da pintura rupestre a Manoel de Barros. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 4, maio 2001. p. 89-96.

MARINHO, Marcelo; RAMIRES, Emanuela Maria Gemignani. Caramujo-flor, de Joel Pizzini, e a obra poética de Manoel de Barros. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 2, maio 1999. p. 9-20.

MARTINS, W. R. M. O. ; RODRIGUES, Rauer Ribeiro. Fronteira e identidade: terreno movediço na poética de Manoel de Barros. Fronteiraz (São Paulo), v. 4, p. 13, 2009.

MARTINS, W. R. M. O. ; GRACIA-RODRIGUES, Kelcilene; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. A infância que se entrega aos pântanos: as memórias "experimaginadas" de Manoel de Barros. Letras & Letras (Online), v. 26, p. 101-120, 2010.

MARTINS, W. R. M. O.GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Limites corrompidos: o pós-modernismo em Manoel de Barros. In: SILEL, 2009, Uberlândia. Anais do SILEL. Uberlândia: EDUFU, 2009. v. 1.

MARTINS, W. R. M. O.GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. O neologismo como recurso pós-moderno na poética de Manoel de Barros. Carandá, v. 1, p. 33-47, 2009.

MARTINS, W. R. M. O.GRÁCIA-RODRIGUES, KelcileneRAUER (Rauer Ribeiro Rodrigues). A infância que se entrega aos pântanos: as memórias "experimaginadas" de Manoel de Barros. Letras & Letras (Online), v. 26, p. 101-120, 2010.

MARTINS, Waleska R. M. O.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Manoel de Barros e o Pós-Modernismo. In: I Congresso Internacional de Estudos Lingüísticos e Literários - CIELL, 2008, Três Lagoas. CIELL - Identidades: Considerações sobre a experiência, 2008. v. 1. p. 124-131.

 MARTINS, Waleska R. M. O.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. O neologismo como recurso pós-moderno na poética de Manoel de Barros. In: IX Semana de Letras - Cultura, Pensamento e Natureza, 2008, Corumbá. IX Semana de Letras - Cultura, Pensamento e Natureza, 2008.

MARTINS, Waleska R. M. O.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Pós-Modernismo e Manoel de Barros: O diálogo com o inconstante. In: I Congresso Internacional Brasil-Paraguai-Bolívia: Língua, Cultura e Interdisciplinaridade, 2009, Corumbá. I Congresso Internacional Brasil-Paraguai-Bolívia: Língua, Cultura e Interdisciplinaridade. Campo Grande: Editora da UFMS, 2008. v. 1. p. 211-226.

MARTINS, Waleska R. M. O.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Pós-Modernismo e Manoel de Barros: O diálogo com o inconstante. In: I Congresso Internacional Brasil-Paraguai-Bolívia: Língua, Cultura e Interdisciplinaridade, 2009, Corumbá. Congresso Internacional Brasil-Paraguai-Bolívia: Língua, Cultura e Interdisciplinaridade. Campo Grande: Editora UFMS, 2008. v. 1. p. 46-46.

MARTINS, Waleska R. M. O.; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene; MARTINS, S. R. O. Dos recantos aos encantos: A importância do lugar na obra poética de Manoel de Barros. In: Segundo Seminário Internacional América Platina - Diálogo regional e dilemas contemporâneos, 2008, Campo Grande. Segundo Seminário Internacional América Platina - Diálogo regional e dilemas contemporâneos, 2008. p. 52-52.

MARTINS, Waleska Rodrigues de Matos Oliveira. As figurações da morte e da memória na poética de Manoel de BarrosTese (Doutorado em Estudos Literários); orientador: Luiz Gonzaga Marchezan. Araraquara, SP: Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, 2015.

MARTINS, Waleska Rodrigues de Matos Oliveira. Um voar fora da asa: O pós-modernismo e a poética de Manoel de BarrosDis­sertação (Mestrado em Estudos de Linguagens); orientadora: Kelcilene Grácia-Rodrigues. Campo Grande: CCHS, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2010.

MARTINS, Waleska Rodrigues; RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]. Fronteira e identidade: terreno movediço na poética de Manoel de Barros.FronteiraZ, n. 4, 2009. Disponível em < http://revistas.pucsp.br/index.php/fronteiraz/article/view/12468/9039 >, acesso em 19 dez. 2016.

MATOS, Waleska Rodrigues de; MARINHO, Marcelo. A obra poética de Manoel de Barros: o processo de criação de neologismos. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 4, maio 2001. p. 97-104.
MAUAD, Isabel Cristina. Poeta busca estética do ordinário. O GloboRio de Janeiro, 29 dez. 1991, p. 5.

MEDEIROS, Sérgio. Os vários duplos de Manoel de Barros. O Estado de S. Paulo, 14 dez. 1996.

MENEGAZZO, Maria Adélia. Alquimia do verbo e das tintas nas poéticas de vanguarda. Campo Grande: CECITEC; UFMS, 1991.

MENEZES, Edna Pereira Silva de. A metalinguagem na obra poética de Manoel de Barros: uma leitura do livro Retrato do artista quando coisa. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 4, maio 2001. p. 84-88.

MENEZES, Edna Pereira Silva de; CATONIO, Angela Cristina Dias do Rego. Manoel de Barros na imprensa escrita brasileira (1990-2000). O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 5, maio 2002. p. 53-58.

MENEZES, Edna. A autorreflexão em “estado de palavra” na poética de Manoel de Barros. Jornal de Poesia. Disponível em: < http://www.jornaldepoesia.jor.br/ednamenezes2.html >.

MENEZES, Edna. Manoel de Barros: O poeta universal de Mato Grosso do Sul. Jornal de Poesia. Disponível em: < http://www.jornaldepoesia.jor.br/ednamenezes1.html >.

MENEZES, Edna. Quatro expoentes da literatura sul-mato-grossense: Visconde de Taunay, Lobivar Mattos, Manoel de Barros, Raquel Naveira. Campo Grande: Athenas, 2003.

MILLEN, Mànya. Um poeta em plena infância. O Globo, Prosa & Verso, Rio de Janeiro, 7 nov. 1998.

MONCINHATTO, Maria Adriana Silva. A palavra como processo reflexi­vo: A poesia da invencionice de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Letras). São Paulo: Pon­tifícia Universidade Católica de São Paulo, 2009.

MORAES, Paulo Eduardo B. de. Manoel de Barros: Poeta antropófago.Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagem); orientadora: Kelcilene Grácia-Rodrigues. Campo Grande: CCHS, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2014.

MORGADO, Paulo. Manoel de Barros: confluência entre poesia e crô­nica. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2007.

MÜLLER, Adalberto. Encontros: Manoel de Barros. Rio de Janeiro:Azougue, 2010.

NAME, Daniela. Um inventor de palavras. O Globo, Segundo Cader­no, Rio de Janeiro, 2 mar. 1996.

NASCIMENTO, Marlucia Nogueira. Manoel de Barros: o Voyeur menino e as seduções da musa. Revista Entrelaces, v. 1, nº 8, Fortaleza, Universidade Federal do Ceará, Jul.-Dez. 2016. Disponível em: < http://periodicos.ufc.br/index.php/entrelaces/article/view/5687/4616 >, acesso em: 7 fev. 2016.

NOGUEIRA, Rui. O poeta andarilho do Pantanal. Correio Braziliense,Brasília, 5 jul. 1987.

NOLASCO, Paulo. Guimarães Rosa e Manoel de Barros: um guia para o sertão. In: ______. O outdoor invisível: crítica reunida. CampoGrande: Editora UFMS, 2006.

OLIVEIRA, Elizabete.  A educação ambiental & Manoel de Barros. São Paulo: Paulinas, 2012.

OLIVEIRA, Mara Conceição Vieira de. Nomeação e pensatividade poé­tica em Manoel de Barros, Murilo Mendes e Francis PongeTese (Doutorado em Literatura Comparada). Nite­rói, RJ: Faculdade de Letras, Universidade Federal Fluminense, 2006.

OLIVEIRA, Maria Elizabete Nascimento de. Educação ambiental e Manoel de Barros: diálogos poéticosDissertação (Mestrado em Educação). Cuiabá: Universidade Fede­ral de Mato Grosso, 2010.

OLIVEIRA, Vanderluce Moreira Machado. A reescritura poética de Manoel de Barros. Curitiba: Appris, 2016.

PEREGRINO, Giselly. A educação pela infância em Manoel de Barros.Dissertação (Mestrado em Letras). Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janei­ro, 2010.

PEREIRA, Fábio Mazziotti. Vertentes do niilismo na obra poética de Manoel de Barros. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 4, maio 2001. p. 74-83.

PERES, Wesley Godoi. Formações do inconsciente e formações poéticasmanoelinas: uma leitura psicanalítica acerca da subjetividade e da alteridade na obra de Manoel de BarrosDissertação (Mestrado em Letras e Linguística). Goiânia: Universi­dade Federal de Goiás, 2007.

PERES, Wesley Godoi: CAMARGO, G. F. O. Considerações acerca nosujeito e da alteridade na poesia de Manoel de Barros. In: FER­REIRA, Renata Wirthmann (Org.). Arte e subjetividade: diálogos com a psicanálise. Brasília: Universa, 2010.

PINHEIRO, Carlos Eduardo Brefore. Livro sobre nada, de Manoel de Barros: empregos estilísticos de artigos definidos e indefinidos. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 5, maio 2002. p. 49-52.

PINHEIRO, Carlos Eduardo Brefore. Manoel de Barros e a poética do nada. Dissertação (Mestrado em Teoria da Literatura). São Paulo: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesqui­ta Filho, 2002.

PINHEIRO, Carlos Eduardo Brefore. Entre o ínfimo e o grandioso, entre o passado e o presente: o jogo dialético da poética de Manoel de BarrosTese (Doutorado em Letras). São Paulo: Univer­sidade de São Paulo, 2011.

PINHEIRO, Hérica A. Jorge da Cunha. Os deslimites da poesia: Diálo­gos interculturais entre Manoel de Barros e OndjakiDissertação(Mestrado em Estudos Literários). Tangará da Serrá: Universidade cio Estado de Mato Grosso, 2012.

PIZA, Daniel. Manoel de Barros, o poeta que veio do chão. O Estado de S. Paulo, 13 mar. 2010.

POESIA SEMPRE. Dossiê Manoel de Barros. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2005. p. 8-59. (Entrevista a Ana Cecília Martins, Cronologia, Artigos de Fabrício Carpineejar, de Alberto Pucheu e de Rogério Eduardo Alves, poemas inéditos de Manoel de Barros e iconografia).

PRIOSTE, José Carlos Pinheiro. A unidade dual: Manoel de Barros e apoesia. Tese (Doutorado cm Letras). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.

RAMIRES, Emanuela Maria Gemiggnani; RUSSEFF, Ivan. Aspectos semânticos e lexicais da obra poética de Manoel de Barros. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 129-140

RAMOS, Isaac Newton Almeida. A modernidade em Manoel de Bar­ros e Alberto Caeiro. In: LEITE, Mário Cezar Silva. (Org.). Mapas da mina: estudos de literatura em Mato Grossov. 1. Cuiabá: Cathedral, 2005.

RAMOS, Isaac Newton Almeida. A didática da invenção do poeta Manoel de Barros. In: SILVA, Agnaldo da. (Org.). Diálogos literários: literatura, comparali­vismo e ensino. São Paulo: Ateliê, 2008.

RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Epifania, desilusão e ataraxia: leituras do poema 'O Fotógrafo', de Manoel de Barros, e do conto 'Era Aqui', de Luiz Vilela. In: Wilson Ferreira de Melo; Regina Baruki-Fonseca; Márcia Regina do N. Sambugari; Rubens Rodrigues; Marcelo Dias de Moura; Joelma de Souza Nogueira; Íria Itomi Ishii. (Org.). Caminhos do Campus do Pantanal - UFMS. 1ed.Campo Grande: Editora UFMS, 2012, v. 1, p. 65-83.

RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]; CAMPOS, Luciene Lemos de. A laicização do peregrino na poesia de Manoel de Barros. In: CIELL - Identidades: Considerações sobre a experiência. Três Lagoas, MS: UFMS, DED, Curso de Letras, 2008, v. cd-rom, p. 425-433.

RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]CAMPOS, Luciene Lemos de. Figuras femininas e fronteiras sociais na poética de Manoel de Barros. Estudos Ibero-Americanos (PUCRS. Impresso), v. 37, p. 354-373, 2011.

RAUER [Rauer Ribeiro Rodrigues]GRACIA-RODRIGUES, K.  Epifania, desilusão e ataraxia: leituras do poema “O Fotógrafo”, de Manoel de Barros, e do conto “Era Aqui”, de Luiz Vilela. In: Wilson Ferreira de Melo; Regina Baruki-Fonseca; Márcia Regina do N. Sambugari; Rubens Rodrigues; Marcelo Dias de Moura; Joelma de Souza Nogueira; Íria Itomi Ishii. (Orgs.). Caminhos do Campus do Pantanal - UFMS. Campo Grande: UFMS, 2012, p. 65-83.

REINER, Nery N. Biancala. A poética de Manoel de Barros e a relação homem-vegetal. Tese (Doutorado em Letras). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010.

RIBEIRO, Duanne. Árvore imensa de cem anos: Manoel de Barros. blogs - Itaú Cultural. 20 dez. 2016. Disponível em < http://www.itaucultural.org.br/explore/blogs/fala-com-arte/arvore-imensa-de-cem-anos-manoel-de-barros/ >, acesso em 03 jan. 2017.

RODRIGUES, Aline. A poética de desver de Manoel de Barros. Curitiba: Appris, 2016.

RODRIGUES, Aline P. de Melo. Desver o mundo: da palavra poética de Manoel de Barros ao gesto de leitura. Dissertação (Mestrado em Letras). Juiz de Fora: Universi­dade Federal de Juiz de Fora, 2012.

RODRIGUES, Karine. De cartas abertas. O Globo, Rio de Janeiro, 1. fev. 2014, p. 2-3.

RODRIGUES, R. R. [Ver RAUER].

RODRIGUES, Rauer Ribeiro; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Fortuna e infortúnios do regionalismo. In: Germana Sales; Roberto Acízelo de Souza. (Org.). Literatura Brasileira: Região, Nação e Globalização. Campinas, SP: Pontes, 2013. p. 263-290.

ROSSONI, Igor. Manoel de Barros e Guimarães Rosa: o avesso do avesso. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 63-74.

ROSSONI, Igor. Fotogramas do imaginário: Manoel de Barros. Salva­dor: Vento Leste, 2007.

SANCHES NETO, Miguel. Achados do chão. Ponta Grossa, PR: Editora da UEPG, 1997.

SANTOS, Osney Fernandes de; MARINHO, Marcelo. Imagens do pantaneiro na obra poética de Manoel de Barros. O guardador de inutensílios – cadernos de cultura, Campo Grande, UCDB, n. 8, maio 2005. p. 29-40.

SANTOS, Rosana Cristina Zanelatto (Org.). Nas trilhas de Barros. Campo Grande: UFMS, 2009.

SILVA, Célia Sebastiana. Manoel de Barros: sem margens com as pa­lavras. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 19, n. 7/8, jul./ago. 2009, p. 541-550.

SILVA, Fernanda Martins da. Olhares sobre o moderno e a moderni­dade na obra de Manoel de Barros: Crítica e recepção. Fênix —Revista de História e Estudos Culturais, Uberlândia, MG, v. 12, ano XII, n. 1, jan./jun. 2015.

SILVA, Kelcilene Grácia da. [Ver GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene].

SILVA, Silvana Augusta Barbosa Carrijo. A poética manoelina: travessuras lexicais. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 151-172.

SILVA, Wellington Brandão da. Inclinações da metapoesia de Manoel de Barros. Dissertação (Mestrado em Literatura). Brasília: Universidade de Brasília, 2011.

SOUSA., José Ricardo Guimarães de. Sobre restos e trapos: a disfunçãona poesia de Manoel de BarrosTese (Doutorado em Teoria da Literatura). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2013.

SOUZA, Elton Luiz Leite de. Manoel de Barros: a poética do deslimiteRio de Janeiro: 7Letras, 2010.

SOUZA, Maria Aparecida Ferreira de Melo. As interfaces espirituais na obra de Manoel de Barros. In: FERRAZ, Salma (Org.). No prin­cípio era Deus e ele se fez poesia. Rio Branco: EDUFAC, 2008.

SPIRONELLI, Simone Cristina; ISQUERDO, Aparecida Negri. O vocabulário de Manoel de Barros: um estudo sobre os neologismos. In: RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004. p. 188-202.

SPITZ, Eva. O poeta que poucos conhecem. Jornal do Brasil, Cader­no B, Rio de Janeiro, 8 dez. 1988.

STESSUK, Sílvio. Poéticas do detrito: Kurt Schwitters e Manoel de Barros. São Paulo: Portal Literário, 2007.

TORRES, Alan Bezerra. Manoel de Barros. A poética da infância e dos espaços. Curitiba: Appris, 2015.

UETANABARO, Kati Eliana Caetano; Van der Laan, Rita Maria Baltar. A iconização e a construção ideológica da realidade: o exemplo de Manoel de Barros. Encontros e reversos, Corumbá, MS, Departamento de Ciências Humanas e Letras, Centro Universitário, UFMS, ano I, n. 1, abr. 1995. p. 5-10.

VASCONCELOS. Vânia Maria. “A poética in-verso” de Manoel de Barros:metalinguagem e paradoxos representados numa disfunção líricaTese (Doutorado em Comunicação e Semiótica). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2002.

VIEIRA, Tania Regina. Manoel de Barros: horizontes pantaneiros emterras estrangeirasTese (Doutorado em Letras e Linguística). Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2007.

WALDMAN, Berta. A poesia de Manoel de Barros: uma gramática expositiva do chão. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 27 maio 1989.

WALDMAN, Berta. Poesia ao rés do chão. In: BARROS, Manoel de.Gramática expositiva do chão: Poesia quase toda. Rio de Janeiro: CivilizaçãoBrasileira, 1990.

WELLIGTON, Brandão. Inclinações da metapoesia de Manoel de Barros. Saarbrücken, Alelmanha: Novas Edições Acadêmicas, 2014.

YAMAMOTO, Cícera Rosa Segredo; GRÁCIA-RODRIGUES, Kelcilene. Paulo Freire e Manoel de Barros: Um diálogo sobre identidades. In: V Seminário Internacional América Platina, v. 1, Dourados, MS: UFGD, 2014.



ESTUDOS SOBRE O PANTANAL:

BARROS, Abílio Leite de. Pantanal pioneiros: álbum gráfico e genealógico de pioneiros na ocupação do Pantanal. Brasília: Senado Federal, 2007.

LEUZINGER, Lucas (Fotos e textos). Pantanal Brasil. Rio de Janeiro: Céu Azul, 2009.

MAGALHÃES, Luiz Alfredo Marques. Mato Grosso do Sul – Fazendas – Uma memória fotográfica, Livro III. S.l.: s.e., s.d.

MAGNANINI, Alceo (texto); BRITTO, Paulo Fernando Henriques e GOMES, Aíla de Oliveira (tradução para o Inglês). Pantanal. Com poesia de Carlos Drummond de Andrade e fotos de Luiz Claudio Marigo. Rio de Janeiro: AC&M, 1985.

MORETTINI, Marly T.; URT, Sônia da Cunha. Cancioneiro do Pantanal. Campo Grande: Life, 2010.

NOGUEIRA, Albana Xavier. Pantanal: Homem e Cultura. Campo Grande: Editora da UFMS, 2002.

RUSSEFF, Ivan; MARINHO, Marcelo; SANTOS, Paulo Sérgio Nolasco dos (Orgs.).. Ensaios Farpados: arte e cultura no pantanal e no cerrado. 2. ed. rev. e ampl. Campo Grande: Letra Livre; UCDB, 2004.